domingo, 29 de junho de 2014

Agenda do programa

Dia 05 de julho - Cantor e compositor TEROCA 


Dia 19 de julho - Lançamento de CD do GRUPO GAROANDO

Shirley Espíndola entrevista Maria Alcina no Tons do Brasil

Maria Alcina lança seu novo CD e fará um show em São Paulo para gravação do seu primeiro DVD. Ouça a entrevista abaixo


video



Maria Alcina lança CD ‘De Normal (Bastam os Outros)’

Maria Alcina dispensa apresentação, é a personalidade da nossa música, com reconhecido lugar numa galeria de intérpretes com forte identidade. Em qualquer registro da história da música brasileira recente, tem que constar sua performática atuação no Festival Internacional da Canção, em 1972 e vencedora da parte nacional, eternizando Fio Maravilha, de Jorge Ben Jor. São mais de quarenta anos de marcante presença, agora comemorados com o lançamento do CD De Normal (Bastam os Outros), lançamento conjunto ao do selo Nova Estação, do produtor Thiago Marques Luiz.
Com direção musical do guitarrista Rovilson Pascoal, o álbum traz, além do compositores citados, outros que fazem parte da trajetória de Alcina, como Jorge Ben Jor, de quem ela  regravou Sem vergonha, feita para ela e registrada em 1992 no disco Bucaneira e João Bosco e Aldir Blanc (O Chefão). Tem também o sambista Oswaldo Nunes (1930-1991) com a empolgante Segura esse Samba e o grande Adoniran Barbosa (Dondoca).
Alcina comemora: “Poder fazer 40 anos de carreira é magnífico. É uma profissão que tem suas facilidades e dificuldades, então é um prazer poder chegar até aqui. Por outro lado, saber que esses compositores fizeram essas músicas especialmente para mim, ter o olhar deles voltados pra mim,  é um retorno indescritível. São como artísticas declarações de amor. Que ‘de normal’ não têm nada”.

Mineira de Cataguases, Maria Alcina mudou-se para o Rio de Janeiro nos começo dos anos 1970. Cantou em casas de shows e boates,  apresentou-se em teatros de revista ao lado de Leila Diniz, por exemplo, até explodir em 1972 no FIC. Na década seguinte, fez enorme sucesso com músicas retiradas do folclore, como Prenda o Tadeu e É mais embaixo. Como gosta de desafios, nos anos 90, a convite de Nelson Motta, participou de show em homenagem a Carmen Miranda, no Lincoln Center (Nova York), com Aurora Miranda e Marília Pêra.
Em 2003, nova guinada, ao lado de grupo eletrônico Bojo gravou o CD Agora (Outros Discos), que amplia sua faixa de público. Juntos apresentaram-se em importantes eventos para jovens como Com:tradição (São Paulo e Rio) e Abril Pro Rock (Recife/PE). Com o álbum Confete e Serpentina (Outros Discos/2009), venceu o Prêmio da Música Brasileira nas categorias Melhor Cantora Popular e Melhor Disco Popular. Nesse disco mistura gerações diversas da música brasileira como Alberto Ribeiro (1902/1971) e Paulinho da Viola com nomes mais recentes como Roseli Martins, Wado, Moisés Santana e Ronei Jorge.

Shirley Espíndola - Show da Virada Paulista Jundiaí



video